terça-feira, 7 de novembro de 2017

Aprender com a Biblioteca Escolar 2017 - 2018



1.      Contexto

O projeto de aplicação experimental do referencial «Aprender com a Biblioteca»[1] surgiu no quadro da atualização deste documento orientador no início de 2017. De facto, desde 2012 que vêem sendo implementadas ações visando compatibilizar a dinâmica das bibliotecas escolares com a aquisição de competências pelos alunos que as frequentam. As áreas nas quais o processo incide são as da literacia da informação, a dos média e a literacia da leitura.

Até ao final do ano lectivo transato o referencial aplicou-se apenas ao ensino básico, mas o processo de atualização a que foi sujeito, e que conduziu à revisão e republicação do documento no início de 2017, alargou a sua aplicação ao ensino secundário. Tal como aconteceu quando foi aplicado pelas bibliotecas do ensino básico, o referencial irá passar por uma fase de experimentação e de avaliação. O objectivo é o de incorporar os contributos que irão resultar da experiência com as turmas piloto, visando a revisão do documento, e a sua generalização em todas as bibliotecas escolares que servem aquele nível de ensino.

2.       A experiência

A Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) selecionou um conjunto de bibliotecas a nível nacional, nas quais se inclui a da Escola Secundária Gabriel Pereira, visando testar o referencial.

A experiência consiste na preparação de actividades que permitam a aquisição pelos alunos das competências previstas no referencial para as áreas de literacia, na escolha de uma turma-piloto, e na seleção de uma ou mais disciplinas curriculares com as quais a biblioteca irá articular atividades. No nosso caso foi selecionada a turma 10º F e as disciplinas de História A e de Filosofia. A turma 10º E funcionará como turma de controlo (ação de resposta a um inquérito), já que a componente atitudinal será objecto de avaliação no que respeita às literacias da informação e dos média. Será nestas duas áreas do referencial que se irão integrar as actividades a desenvolver pela biblioteca e pelos docentes responsáveis pelas disciplinas citadas.

         A seleção das áreas do referencial «Aprender…», cujas competências se pretendem ver reforçadas, resultou do cotejo de ambos os documentos que temos vindo a citar: «Aprender com a Biblioteca» e «Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória» (Despacho n.º 6478/2017, de 26 de julho)][2] Este último documento centra-se na definição das linhas orientadoras para a organização do trabalho das escolas, preconizando a articulação das várias dimensões do desenvolvimento curricular. Por seu turno, como foi referido em sede de Conselho Pedagógico, na sua sessão de 12 de outubro, o referencial «Aprender com a Biblioteca» pretende atingir os mesmos objectivos, colocando porém a ênfase no contributo especializado que o «equipamento» biblioteca pode incorporar no processo ensino-aprendizagem.


1 PORTUGAL. Ministério da Educação. Gabinete da Rede Bibliotecas Escolares. Portal RBE: Aprender com a biblioteca escolar [2017] [Em linha]. Lisboa: RBE, atual. 21-03-2017. [Consult. 11-10-2017] Disponível em WWW: <URL: http://www.rbe.mec.pt/np4/referencial_2017.html>. 
2 PORTUGAL. Ministério da Educação. Direção Geral de Educação. Portal ME: Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória [2017] [Em linha]. Lisboa: DGE/MEC [Consult 11-10-2017]. Disponível em WWW: <URL: https://dge.mec.pt/sites/default/files/Noticias_Imagens/perfil_do_aluno.pdf>.

Sem comentários:

Enviar um comentário